COMPARTILHE:

[print-button target='#areaImpressao']

Ciência Hoje das Crianças


Conteúdo do Link: http://chc.cienciahoje.uol.com.br/um-mundo-nas-cavernas/

Um mundo nas cavernas

Esses ambientes escuros e úmidos são um verdadeiro patrimônio natural e histórico

Notícias - 22-09-1992 Imprimir Pdf

O Brasil tem muitas cavernas, a maioria localizada em Goiás, na Bahia e em Minas Gerais, regiões que há cerca de 600 milhões de anos eram cobertas por um mar raso. Há vários tipos de cavernas formadas a partir de rochas calcárias, pois o mar que cobria o interior do Brasil era cheio de sedimentos ricos em cálcio. Com o passar dos séculos, o mar sumiu e os sedimentos, que tinham se depositado e endurecido no fundo, se transformaram em rochas, sobretudo calcárias.

Interior da Toca da Boa Vista (BA), a maior caverna brasileira

Aos poucos, a lenta movimentação da Terra provocou pequenas rachaduras nas rochas. Como a água da chuva se torna ácida ao passar pela atmosfera e pelo solo, ela penetrou nas rachaduras, dissolveu a rocha e produziu buracos cada vez mais largos e fundos, formando salões, túneis e abismos.

Esses espaços, que levaram milênios para serem escavados pela chuva nas rochas, formaram as cavernas. A água da chuva também esculpiu, dentro das grutas, belos e curiosos cristais conhecidos como estalactites — quando caem do teto como cortinas — ou estalagmites — quando crescem a partir do chão.

A ciência que estuda as cavernas é a espeleologia. No Brasil, a maior caverna de que se tem notícia é a Toca da Boa Vista, na Bahia. Estudos já mapearam nela 36 quilômetros de galerias labirínticas, o que a coloca na lista das 40 maiores do mundo! Mas falta ainda explorar centenas de galerias, que devem colocar a Toca da Boa Vista entre as dez maiores do mundo.

Como o ambiente das cavernas é escuro e úmido, a vida lá dentro é bem diferente. Não há plantas, por exemplo. Mas bichos — como grilos, centopéias, besouros e aranhas — adoram viver lá. Alimentam-se de galhos e folhas trazidos pelas águas dos rios. Após várias gerações nas cavernas, os bichos desenvolvem antenas para facilitar a busca de alimentos no escuro. Alguns nem têm olhos e são completamente brancos, não podendo sobreviver em ambientes com luz.

O mais famoso habitante desse mundo subterrâneo é o morcego. Vive pendurado — de cabeça para baixo, é claro — no teto de salões e galerias e sai da caverna para comer frutas e insetos. Assim, a cadeia alimentar desse ambiente começa do lado de fora: o cocô dos morcegos alimenta centopéias e grilos, que são devorados pelas aranhas. Viu? A vida nas cavernas também depende das florestas e dos rios da superfície.

As cavernas podem guardar preciosidades históricas. Ossos de animais que desapareceram há uns dez mil anos — como a preguiça e o tatu gigantes e o tigre-dente-de-sabre — podem estar misturados à terra da caverna, tendo sido carregados pela água. Há ainda vestígios de homens pré-históricos, que usavam as cavernas como abrigo, morada e templo, e às vezes deixavam figuras gravadas nas paredes.

Apesar dessa riqueza, a extração de calcário para a indústria de cimento tem provocado a destruição de muitas cavernas. É preciso selecionar e preservar as mais importantes, conservando esses ambientes frágeis e interessantes que trazem tanta informação sobre o passado. Afinal, nossas cavernas constituem não só um patrimônio natural, mas também um precioso patrimônio histórico!

 

Flavio Chaimovich,

Comentários

Observação: Os comentários publicados abaixo foram enviados por nossos leitores e não necessariamente representam a opinião da Ciência Hoje das Crianças.

  1. flavio disse:

    o ser humano nao tem limites para a destruicao do meio ambiente ele sempre vai pensar no hoje e esquecer do futuro das especies, o fim da especie humana nao estar muito longe!!!

  2. JUSSARA PEREIRA DIAS disse:

    O texto é bem explicativo, nos fornecendo informações valiosas para que façamos hoje tudo que for necessário para contribuirmos com a preservação. Para assim no futuro ainda possamos viver de maneira sustentável.

  3. Francisco disse:

    Muito bom texto!
    Pena que nós seres humanos aos poucos estamos destruindo essa preciosidade historica.

  4. Cleuton Cardoso da Silva disse:

    Texto perfeito! É preciso que haja uma divulgação na massa da sociedade sobre a importância e dever de se iniciar ações que possam prevenir, preservar e combater os danos causados aos rios, pois, só assim e com a participação de todos a vida animal nas cavernas continuará com seu ciclo, sob pena de extinção.

    Cleuton Cardoso (Curso de Direito – UVA)

  5. Nilton Silva Rodrigues disse:

    Interessante e educativa gostei desta matéria .

  6. Ingrid Evelen disse:

    Excelente texto, de forma resumida nos faz lembrar como os seres humanos acabam destruindo a sua própria história.

  7. Patricia Rodrigues da Silva disse:

    Diante dessas informações constatamos o quanto é importante preservar a natureza, pois ela nos fornece vida, cultura e riquezas.

  8. Leonardo Andrade da Costa disse:

    Infelizmente o homem vem destruindo estas cavernas em nome de sua ganância , egoísmo desregrado , contribuindo fortemente pela destruição desta maravilha da natureza

  9. fabio henrique dos santos disse:

    É impressionante ver como os animais se adaptam a ambientes tão inóspitos como o das cavernas, criando antenas para melhor se locomoverem e achar alimentos. Realmente, perder um local de pesquisa como as cavernas e tão ricos em história, por causa da ganância do homem…temos que mudar essa história, temos que fazer alguma coisa para acabar com a destruição das cavernas.

  10. marco lima disse:

    O homem esta destruindo as cavernas e não consegue refletir que é dendro de uma pequena caverna que sumira o que sobrou da sua vida.

  11. Adriele Silva disse:

    Esse assunto foi muito interessante, pena que o homem não dar valor a essas riquezas naturais. Acredito que se continuar dessa forma o fim dessas riquezas será mais próximo do que imaginamos.

  12. Rafaelle disse:

    Adorei a matéria. Uma leitura simples e bem educativa !

  13. Adriano disse:

    Bom ler isto!

  14. Larissa disse:

    Muito interessante essa leitura. Pena que as cavernas estão sendo destruídas …

  15. Tina Alves disse:

    É, as cavernas fazem parte do nosso globo terrestre, precisam ficar imunes, bem longe da exploração do homem.

    • alexandre correia disse:

      O fato é que como sempre o homem tem influenciado na grande destruição em massa de nossas riquezas naturais, verdadeiramente a onde iremos parar.? Que possamos lutar de alguma forma contra toda essa maldade.


Deixe o seu comentário!









Conteúdo Relacionado

  • Família preguiça

    Paleontólogo descobre fósseis de mãe e filhote que viveram há mais de 11 mil anos

    preguiça01 thumb
  • Histórias das cavernas

    Cientistas descobrem evidências de que os neandertais enterravam seus mortos

    O “homem das cavernas” de que falamos aqui é conhecido pelos cientistas como (i)Homo neanderthalensis(/i), ou simplesmente homem de Neandertal. Ele tem esse nome porque seus fósseis foram encontrados pela primeira vez no Vale de Neander, na Alemanha (Imagem: Randii Oliver/Wikimedia Commons)
  • Passado desértico

    As rochas revelam: cidade cheia de montanhas e plantas já foi um grande deserto

    Vejam como são altas estas montanhas rochosas! Foi preciso muito tempo para que o vento pudesse depositar toda essa quantidade de areia. A vegetação que hoje envolve as pedras não existia quando elas foram formadas (Foto: Fábio Simplicio)
string(31) "lightboxIframe link infografico"

Como o homem chegou às Américas?

Novidades

Cadastre-se para receber nossas novidades por e-mail.

Seu e-mail

Twitter