COMPARTILHE:

[print-button target='#areaImpressao']

Ciência Hoje das Crianças


Conteúdo do Link: http://chc.org.br/plantas-carnivoras-existem-mesmo/

Plantas carnívoras existem mesmo?

Descubra como são elas e por que não devemos temê-las!

Notícias - 09-11-1990 Plantas Imprimir Pdf

Era um filme chato. Falava de uma planta murcha. O dono já tinha tentado de tudo para animá-la. Um dia, deu umas gotinhas do seu próprio sangue para ela, e a planta gostou. Cresceu à beça, alimentando-se só de sangue. Ficou do tamanho de uma sala. Enorme. E achou sangue pouco: queria comer uma pessoa inteira! “Que filme besta!”, disse, quando saí do cinema. Mas depois, em casa, fiquei pensando, pensando… Lendas, filmes, histórias em quadrinhos, desenhos animados: tantas histórias de plantas que comem gente! Afinal, existem mesmo plantas carnívoras?

Uma joaninha aproxima-se inocentemente da planta. Dá umas rodeadas e pousa. A planta é um tanto peluda, e nos pêlos há gotas que parecem de orvalho, brilhando à luz do sol. As cores são bonitas e a joaninha acha lindos os pêlos. Mas o que a joaninha não sabe é que eles soltam uma substância viscosa na qual ela vai ficar presa. A joaninha pousou numa ’planta carnívora’.

Diferentemente das que aparecem no cinema, as plantas carnívoras de verdade são pequenas e delicadas. Elas têm em média 15 centímetros. As maiores podem chegar a medir dois metros de altura. Só têm capacidade de capturar e digerir animais miúdos, em geral insetos. Por isso, os pesquisadores preferem chamar essas plantas de insetívoras.

As plantas insetívoras também fabricam seu alimento, mas só isso não é suficiente para suprir suas necessidades vitais. Por isso, os insetos que elas capturam são um complemento alimentar. O processo de captura e digestão do animal varia de planta para planta, dependendo da espécie. Alguns processos de captura são bem simples: é o caso da planta chamada drósera , que prendeu a joaninha. Outras espécies apresentam formas especiais para a captura de suas presas. As plantas que se chamam dionéias, por exemplo, têm folhas que se movimentam, fechando-se sobre o inseto, que fica preso lá dentro. Outros grupos, como as nepentes e sarracênias, têm na extremidade da folha uma grande urna que se enche de uma substância líquida. Quando o inseto vai beber esse líquido, fica preso na urna onde é digerido.

A formiga foi capturada por uma dionéia, planta popularmente conhecida como papa-mosca

Existem no mundo 450 espécies de plantas carnívoras, divididas em seis famílias diferentes. No Brasil, apenas duas dessas famílias são comumente encontradas, em certas regiões. Mas no Jardim Botânico do Rio de Janeiro existe uma estufa de plantas insetívoras. Lá estão exemplares das seis famílias dessas plantas que, na estufa, são cultivadas em condições especiais para se adaptarem ao clima carioca.

As plantas insetívoras devem ser plantadas numa mistura de pó de xaxim e musgo. A mistura deve estar sempre úmida, para imitar o ambiente natural onde as plantas vivem. Muitas delas florescem normalmente e outras, como as nepentes, raramente entram em floração fora de seus países de origem.

Vera Lucia Gomes Klein,

Comentários

Observação: Os comentários publicados abaixo foram enviados por nossos leitores e não necessariamente representam a opinião da Ciência Hoje das Crianças.

  1. juliana disse:

    que massa essa planta carnívora

  2. Anna Karolinny disse:

    Legal As Plantas Carnivóras mas eu prefiro mais aquelas Rosas Vermelhas e as Rosas Rosas!

  3. Augusto disse:

    Sem querer ser estraga prazer mas eu já li reportagens melhores. Porque eu acho que você não devia falar do filme que você viu e sim das curiosidades da planta. E usa outros insetos e não uma joaninha. Mas tirando isso eu gostei da reportagem

  4. Julia Luiz de Oliveira disse:

    Uau,impressionante esta matèria entre outras parabenizo toda a equipe de pesquisa!!!

  5. Julia Luiz de Oliveira disse:

    Uau,inpressinante esta materia entre outras parabenizo to a equipe de pesquisa!!!

  6. themis disse:

    isso me ajudo muito no meu trabalho escolar

  7. Ja estou sabendo que as plantas carnivoras são bem interesantes.

  8. maria clara disse:

    eu adoro estuda ciencias

  9. stefany pereira dos santos disse:

    Ola! Meu nome é stefany e mais uma vez estou escrevendo, tenho 10 anos e moro em rancharia uma cidadezinha pequena.descobri nesse texto que vosseis publicaram, que no Brasil existem só duas famílias dessa planta .uma vez li um texto chamado “IMENSA, FEIA E MAL CHEIROSA”era de uma planta grande quer dizer muito grande que fedia muito……………………………………………Gostaria que vosseis publicassem uma materia com o tema “minha coleção” tirei essa ideia da minha coleção de tampinhas de garrafa de cervaja da marca skol, também gostaria que vosseis respondessem uma pergunta que é “prque as fezis dos serumanos existem” me respondam por favor!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! ::::((((((

    TCHAU UM GRANDE ABRAÇO PRA TODOS!

    • Aqui-revisão|data=Fevereiro de 2009}} Sem-fontes|data=janeiro de 2015}}
      Drosera montana, planta carnívora comum nos cerrados brasileiros.

      Plantas carnívoras são plantas com a capacidade de atrair pequenos animais, incluindo insetos (principais presas), aracnídeos e até mesmo anfíbios, répteis e aves, capturar (através de armadilhas compostas por folhas modificadas), digerir (através de enzimas digestivas) e utilizar os nutrientes (principalmente compostos nitrogenados) de suas presas. Habitam geralmente solos pobres, encharcados e ácidos (baixo pH) com pouca disponibilidade de nitratos (essenciais para a síntese da molécula de clorofila), dependendo assim do nitrogênio contido nas proteínas dos animais, mas, como todo vegetal, é dependente da energia proveniente da luz para sobreviver.

      As plantas carnívoras ocorrem predominantemente na faixa tropical do planeta, ocorrendo grande biodiversidade no Sudeste Asiático, Américas e Austrália. Um menor número de espécies ocorrem no sul da Europa e da África, sendo que as mais bem adaptadas ao seu habitat de ocorrência são encontradas em locais inóspitos como o Alasca, Escandinávia e deserto australiano.

      Índice

      1 Famílias
      1.1 Nepentes
      1.2 Sarracenia
      1.3 Drosera
      1.4 Lentibularia
      1.5 Outras famílias
      2 Ligações externas

      Famílias

      Existem quatro famílias principais de plantas carnívoras: Nepenthaceae, Sarraceniaceae, Droseraceae e Lentibulariaceae. São extremamente distintas entre si com respeito às estruturas reprodutivas, o que indica que podem ter evoluído paralelamente, e que sua habilidade de capturar e digerir seja uma convergência evolutiva. Entretanto, algumas estratégias de captura são similares, como nos animais.
      Nepentes
      Espécime de Nepenthes sibuyanensis.
      Ver artigo principal: Nepenthaceae

      Possuem na ponta de suas folhas estruturas semelhantes a jarros, sendo na verdade continuações da própria folha modificadas, com as bordas do limbo unidas formando uma ânfora. Sobre a abertura desta ânfora encontra-se uma estrutura semelhante a uma “tampa”, normalmente colorida, servindo de proteção estática para que a armadilha não se encharque. Isso faz com que apenas uma porção de líquido encontre-se em seu interior, e é neste líquido que insetos, aranhas, e mesmo pequenos pássaros ficam presos ao escorregarem para dentro do tubo – atraídos pelas cores e pelo brilho de glândulas situadas na base da tampa. Uma vez dentro, uma parede cerosa e pelos no interior da folha voltados para baixo, evitam que esta possa ser escalada, e ali os animais são digeridos.

      Esta família possui algumas das maiores espécies de plantas carnívoras e tem a forma de uma trepadeira (sendo que a estrutura entre a folha e a armadilha atua na sustentação da planta, de maneira análoga às gavinhas das videiras).
      Sarracenia
      Exemplar da família Sarraceniaceae.
      Ver artigo principal: Sarraceniaceae

      Esta família consiste de plantas carnívoras com folhas saindo de um rizoma subterrâneo, folhas estas unidas pelas bordas formando um comprido jarro, semelhante à família Nepenthaceae. Compreende os gêneros Sarracenia, Darlingtonia (ambas naturais da América do Norte) e Heliamphora (natural da América do Sul). Encontradas na sua maioria em climas temperados, as plantas entram em um período de dormência nas épocas mais frias do ano.

      Algumas especies de aranhas-caranguejo podem viver em suas armadinhas para caçar suas presas, mas como apenas sugam os fluidos dos insetos.Assim nem a planta nem a aranha saem prejudicadas.
      Drosera
      Drosera tentaculata, exemplar da família Droseraceae.
      Ver artigo principal: Droseraceae

      Droseraceae é uma família de plantas angiospérmicas (plantas com flor – divisão Magnoliophyta), pertencente à ordem Caryophyllales. A ordem à qual pertence esta família está por sua vez incluída na classe Magnoliopsida (Dicotiledôneas): desenvolvem portanto embriões com dois ou mais cotilédones. A família abriga os gêneros Drosera, Dionaea e Aldrovanda (Aldrovanda vesiculosa). As plantas do gênero Drosera, o único da família com mais de uma espécie, possuem tricomas glandulares (“tentáculos”) que recobrem principalmente suas folhas e que, ao secretarem uma substância pegajosa, atraem suas presas. Estas ficam aprisionadas nas armadilhas adesivas onde morrem e são lentamente digeridas, tendo os nutrientes de seus corpos absorvidos pela superfície das folhas.O gênero Dionaea é composto apenas pela espécie Dionaea muscipula, a popular “papa-moscas”.
      Lentibularia
      Ver artigo principal: Lentibulariaceae

      O gênero Pinguicula pertence à família Lentibulariaceae, mas possui estratégia parecida com as Drosera. Esta família também possui estratégias passivas e ativas. Em Utricularia, gênero de plantas basicamente aquáticas, a maior parte das folhas (senão todas) são submersas e extremamente modificadas em filamentos muito ramificados. Em alguns pontos destes filamentos, encontram-se pequenas câmaras vazias, seladas por uma válvula e guarnecidas por pêlos. Larvas ou animais planctônicos, ao encostarem nestes pelos, detonam um processo semelhante ao da Dionaea, abrindo a válvula e provocando uma súbita corrente de água para o interior das câmaras, carregando o animal consigo, onde ele será digerido.
      Outras famílias
      Dioneia

      Além destas quatro famílias, há plantas carnívoras menos conhecidas em outras famílias:

      Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

      Cephalotaceae é uma família cuja única espécie é Cephalotus follicularis. Esta espécie possui uma elaborada, mas pequena, armadilha do tipo ânfora (uns poucos centímetros no máximo), e está restrita ao sudoeste da Austrália.

      A família Drosophyllaceae inclui o Drosophyllum lusitanicum,uma planta carnívora endêmica de Portugal, Espanha e norte de Marrocos.

      Os membros da família Byblidaceae, pertencentes ao gênero Byblis , possuem armadilhas similares às de Drosera e Drosophyllum.

      Algumas espécies de Bromeliaceae, como a Brocchinia reducta e Catopsis berteroniana são reconhecidamente carnívoras. Bromélias são monocotiledôneas, e como são naturalmente plantas coletoras de chuva pela forma de sua folhagem, e muitas espécies são epífitas e coletam detritos (Bromélia tanque), não é de se espantar que algumas tenham desenvolvido um hábito em direção à carnivoria ao adicionar cera, glândulas digestivas e pelos voltados para baixo à sua estrutura.

      Como a maioria das carnívoras, Cephalotus e bromélias carnívoras são encontradas em regiões de solos pobres (ou com deficiência de nutrientes, como ocorre com as bromélias epífitas), alta luminosidade, muita umidade e incêndios naturais regulares ou outras perturbações do habitat.Elas realizam a fotossíntese, mas mesmo assim precisam se alimentar de animais pequenos para suprir suas necessidades biológicas, esses insetos possuem nitrogênio, muito importante para a planta, e a fotossíntese fica responsável pelos açúcares.
      Wicpédia

  10. nicol disse:

    olá,eu Jhoselin Nicol sou da escola jose carlos dias , e estou estudando a revista ciencias hoje

  11. anne disse:

    eu estava com essa dúvida a muito tempo

    • LEONARDO BARBOSA disse:

      EU ESRTAVA COM ESSA DUVIDA TAMBEM SEM SABER SE EXISTIA OU NAO PLANTAS CARNIVORAS!ATE QUE ENFIM ACHEI A RASPOSTA

  12. evelyn disse:

    eu amo muito plantas gostaria de ter umas plantas carnívoras aqui na minha casa

  13. bruna disse:

    muito bom

  14. Mauro disse:

    Existem sim! Comprei uma hoje no site http://www.plantascarnivoras.com.br. Vai chegar amanhã aqui! =)

  15. Vital disse:

    show

  16. Marina :) disse:

    Que medo! meu sonho é ver uma planta se mexendo pra pegar os mosquitinhos :O , hhahahaha

  17. carrol disse:

    eu gostei dese texto ele e muito

  18. vivianny disse:

    gostei demais

  19. julia e lethicia disse:

    GOSTEI DEMAIS MESMO

  20. agatha brenda disse:

    foi muito legal essa historia eu gostei mas sera que igisti mesmo plantas carnivora

  21. giulia disse:

    xxxxxxxxxxxxxxxxaaaaaaaaaaaaaaaaaaattttttttttttttttttttttttttttttiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiicccccccccccccccccccccccceeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

    • LEONARDO BARBOSA disse:

      ISSO E MENTIRA SUA AGATHA BRENDA!É MUITO AO CONTRARIO QUE VC DISSE!E MUITO LEGAL TA?DOOOOOOOOOOOOOOOOOO

  22. joao disse:

    elas são de que tamanho

  23. Eu já vi uma.É bem interessante o jeito dela se alimentar!

  24. sandra de azevedo franco mariano disse:

    bacana gostei muito show essa revista olin e gosto muito da revista também mas de plantas Carnivoras
    a e manda um beijo na pro Solange ela passou esse sit amo ela

    bjs Sandra

  25. anonimo disse:

    legal


Deixe o seu comentário!









Conteúdo Relacionado

  • A anta, o carbono, o clima

    Você pensa que uma coisa não tem a ver com as outras? Está enganado! E vou explicar por quê…

    A anta é um animal de grande porte, capaz de dispersar grandes sementes e, assim, ajudar na renovação das árvores de madeira dura da mata atlântica. (foto: Mauro Galetti)
  • Esgoto para plantar

    Cientistas usam restos do tratamento do esgoto para ajudar a germinar plantas do cerrado

    Mudas plantadas com a ajuda do lodo retirado do esgoto. (foto cedida pelo pesquisador)
  • Gigante carnívora

    Conheça a maior planta carnívora das Américas, descoberta em Minas Gerais

    Como outras espécies de orvalhinhas, (i)Drosera magnifica(/i) tem as folhas longas e finas cobertas por pelos vermelhos que liberam uma substância translúcida e pegajosa em forma de gotículas. Quando vistas contra a luz, essas gotículas reluzem e lembram o orvalho. (foto: Paulo Gonella)
string(31) "lightboxIframe link infografico"

Novidades

Cadastre-se para receber nossas novidades por e-mail.

Seu e-mail