COMPARTILHE:

[print-button target='#areaImpressao']

Ciência Hoje das Crianças


Conteúdo do Link: http://chc.org.br/pique-esconde-espacial/

Pique-esconde espacial

Cientistas desconfiam da existência de quatro planetas nunca observados no Sistema Solar

Notícias - 04-02-2015 Astronomia Imprimir Pdf

Quando brincamos de pique-esconde num lugar muito grande e com muitos esconderijos, a brincadeira fica bem mais difícil, não é? Agora imagine fazer isso num lugar tão grande quanto nosso Sistema Solar: seria possível um planeta inteiro se esconder, passando despercebido pelos nossos melhores telescópios? Pois alguns cientistas acreditam que sim. Aliás, eles não desconfiam apenas de um planeta misterioso, mas de quatro!

Atualmente, consideramos que o Sistema Solar inclui oito planetas: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Porém, algumas teorias apontam para a existência de mais quatro. (imagem: The International Astronomical Union/Martin Kornmesser)

Atualmente, consideramos que o Sistema Solar inclui oito planetas: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Porém, algumas teorias apontam para a existência de mais quatro. (imagem: The International Astronomical Union/Martin Kornmesser)

Os planetas estariam a mais de 200 unidades astronômicas (UA) do Sol. Uma UA corresponde à distância média entre a Terra e o Sol, aproximadamente 150 milhões de quilômetros. Ou seja, esses planetas desconhecidos estariam bem mais longe do que Netuno, que está a cerca de 40 UA do Sol, e teriam massas entre duas e quinze vezes maiores que a da Terra.

Essas previsões são fruto de simulações realizadas para tentar entender o comportamento inesperado dos “objetos trans-nentuaninos extremos”, ou ETNOs, como os astrônomos gostam de chamar. Trata-se de rochas que viajam pelo espaço para além da órbita de Netuno, e que deveriam se distribuir de forma aleatória pelo espaço. Porém, sua trajetória indica uma possível ação de forças gravitacionais desconhecidas – uma das hipóteses para explicar isso é a presença de grandes planetas naquela área.

Planetas… Onde estão vocês?

Ora, você deve estar pensando: “vamos procurar logo por esses planetas desconhecidos!” Infelizmente, não é tão fácil. Confirmar na prática o que prevê esse modelo teórico é quase impossível nos dias de hoje.

A existência de planetas desconhecidos para além da órbita de Netuno é uma das explicações possíveis para o comportamento de corpos celestes que transitam naquela região do espaço. (imagem: Nasa/JPL-Caltech)

A existência de planetas desconhecidos para além da órbita de Netuno é uma das explicações possíveis para o comportamento de corpos celestes que transitam naquela região do espaço. (imagem: Nasa/JPL-Caltech)

“Os planetas não têm luz própria, só refletem o que recebem do Sol”, pondera Carlos de La Fuente Marcos, da Universidade Complutense de Madri. “O brilho desses corpos distantes, se existirem, seria 40 vezes mais fraco que o de Netuno – que já é bem pequeno”. Além disso, segundo o pesquisador, a trajetória desses planetas seria circular e eles se moveriam muito lentamente pelo espaço, sendo muito difíceis de encontrar.

O astrônomo Fernando Roig, do Observatório Nacional, também acha que observar de forma direta um objeto um pouco maior do que a Terra a mais de 200 UA é impossível, mesmo com potentes telescópios. “Ainda que fosse possível, há outro problema: sem ter uma previsão de em qual região do céu o objeto estaria, é como procurar uma agulha num palheiro”, lamenta.

Nós ficamos aqui imaginando se, um dia, conseguiremos de fato encontrar novos planetas no Sistema Solar. Mas Fernando contou à CHC que esta não é a única explicação plausível para o estranho comportamento dos ETNOs. “Há outras hipóteses, que envolvem estrelas próximas ou a interação entre os próprios ETNOs, por exemplo”.

Marcelo Garcia, repórter do Instituto Ciência Hoje
Sou um curioso apaixonado por ciência e adoro quadrinhos e ficção científica. Quase virei cientista, mas preferi me dedicar a mostrar pra todo mundo que a ciência está em tudo ao nosso redor!

Comentários

Observação: Os comentários publicados abaixo foram enviados por nossos leitores e não necessariamente representam a opinião da Ciência Hoje das Crianças.

  1. Anna Elise Soares Cadoso disse:

    Amei ler sobre astronomia! Adorei!

  2. Arthur Rocha disse:

    eu adorei a informação do nono planeta

  3. Vinicius 10 anos disse:

    parabens adorei continuem asim

  4. Guilherme disse:

    Adorei e de coração PARABÉNS! !

  5. estevao disse:

    eu astronautica e astronomia

  6. Kerlen 41 Anos disse:

    Espiritualmente, moralmente e eruditamente, esta revista é nacionalmente imbatível. De coração, parabéns!!!

  7. Ana Ariel Turte disse:

    Eu gostei bastante da matéria.
    Eu gostei porque, fala sobre astronomia, isso é o que eu gosto de estudar!
    Eu gostaria de que vocês publicassem sobre como o sol produz calor.

  8. lyryelrocha disse:

    O Sistema Solar é um conjunto de planetas, cometas, planetas-anões, asteroides e outros corpos celestes que orbitam em torno do Sol, que é uma estrela. Além da Terra, os outros sete planetas que fazem parte desse sistema são: Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Observe a figura abaixo:

    Os nomes e a ordem dos planetas que formam o Sistema Solar

    Entre os chamados planetas-anões, que são aqueles que recebem a influência de outros planetas em suas órbitas, temos: Plutão (desde 2006 deixou de ser considerado um planeta comum), Ceres, Éris, Makemake e Haumea.

    É interessante perceber que, entre os planetas principais, os quatro mais próximos do sol são formados basicamente por rochas e, por isso, são chamados de planetas rochosos. Por outro lado, os outros quatro planetas mais afastados são formados basicamente por gases e, por isso, são chamados de planetas gasosos.

    Dentre todos esses planetas, a Terra é a única a reunir condições para a formação de vida, pois possui temperaturas medianas que são capazes de manter a água no estado líquido em boa parte de sua superfície.

    O Sistema Solar, apesar de ser muito grande em relação à Terra e aos seres humanos, é apenas uma minúscula parte que compõe uma galáxia chamada Via Láctea que, por sua vez, é uma porção muito pequena em relação ao universo.

    Curiosidade: quando dizemos que os planetas giram em torno do Sol, não significa que ele esteja parado. Isso mesmo, o Sol – assim como todo o universo – está em constante movimento, em uma velocidade de mais ou menos 70.000 km/h.

  9. gabrielle disse:

    A nossa professora leu essa reportagem para nos

  10. FRANCIELE disse:

    TAMBEM AMEI ADORO COISAS SOBRE ASTRONOMIA PLANETAS É A MINHA PAIXÃO

  11. isabele disse:

    le

  12. Sofia Braga fã do CHC disse:

    Hey!!! Gosto muito de suas matérias! São muito boas! Espero que quando eu crescer, eu seja uma astrônoma!! Sigo seus exemplos e tira notas boas em meus trabalhos! Obrigada por tanto carinho, Sofia.

  13. João pedro disse:

    E muito

  14. maria clara disse:

    Suas matérias, são muito interessantes. Parabéns !

  15. julia disse:

    adooorei amo astronomia aqui tem cada curiosidade legal

  16. Vítor Carvalho disse:

    Adorei ! Muito interessante , vocês são demais !!

  17. tamiris bastos borges disse:

    adoro as materias, adoro o site adoreeeeeeiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii. continuem assim VC são otimos.! conteúdo importante e co linguagem apropriada!!!! BIOS BIOS tchau!


Deixe o seu comentário!









Conteúdo Relacionado

  • O nono planeta

    Cientistas afirmam que o Sistema Solar tem mais um componente, muito além de Netuno

    O possível novo planeta está muito distante do Sol. (ilustração: Caltech/ R. Hurt/ IPAC)
  • O céu também é azul em outros planetas?

    Descubra o que a ciência pode dizer sobre a aparência do céu em Marte, Vênus e outros mundos vizinhos

    Da Terra, vemos o céu azulzinho. Dos outros planetas, como será? (foto: annette.beatriz / Flickr / (a href=https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0)CC BY-ND 2.0(/a))
  • Bagunça no espaço

    Entenda a organização dos planetas em torno de uma estrela, e como uma descoberta recente está virando tudo de cabeça para baixo

    No Sistema Solar, os planetas rochosos (Mercúrio, Vênus, Terra e Marte) estão mais próximos do Sol, enquanto os planetas gasosos (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno) estão mais afastados. Outros sistemas planetários já descobertos obedecem à mesma organização. (imagem: Harman Smith e Laura Generosa / Nasa)
string(31) "lightboxIframe link infografico"

Novidades

Cadastre-se para receber nossas novidades por e-mail.

Seu e-mail