COMPARTILHE:

[print-button target='#areaImpressao']

Ciência Hoje das Crianças


Conteúdo do Link: http://chc.cienciahoje.uol.com.br/o-balao-que-nao-estoura/

O balão que não estoura

Surpreenda seus amigos com um incrível experimento!

Experimentos - 22-06-2010 Física Imprimir Pdf

Era um dia daqueles deliciosos para ler na rede. Mas a Diná, que adora provocar o Rex, veio acabar com o sossego: “Duvido de que você consiga furar um balão de aniversário com uma agulha e ele ficar inteiro!” Nosso pequeno dinossauro bem tentou, mas só foi descobrir que mágica é essa depois de encher uma sala com pedaços de nosso balão!


Se quer aprender com o Rex, é fácil: pegue um balão, encha bem e depois pegue durex e faça uma cruz de fita adesiva num lado do balão. Faça uma outra cruz do lado oposto. Em seguida, arrume uma agulha bem longa e afiada ou então enfie a ponta de um fio de arame, reto, com uma lima. Outra opção é fazer uma vareta pontuda de bambu ou madeira.

Tome coragem (!) e enfie a agulha (ou arame, ou vareta…) pelo centro da cruz de durex. Você consegue atravessar o balão e fazer a agulha sair pelo outro lado sem estourá-lo!

Mas por que não estoura? Em ciência, muitas vezes é interessante inverter uma pergunta, para se chegar a uma resposta razoável. Podemos perguntar: Por que nosso balão deveria estourar? Ou melhor: por que estouram os balões quando são furados? Em seguida, podemos ver o que nosso balão tem para não estourar.

Quando furamos um balão surge um buraco ao redor da agulha, rodeado por pequenas fendas, como mostra o desenho abaixo (1). Cada uma dessas fendas sofre a ação de tensões que tendem a abri-las cada vez mais. No desenho (2), mostramos o detalhe do buraco e uma fenda, indicando por setas as forças que tendem a abri-la. Elas funcionam como alavancas que forçam a abertura: elas rasgam a borracha do balão.

A fenda mais comprida acaba abrindo cada vez mais até dividir o balão. Quer uma prova de que isso é verdade? É só analisar um balão (sem durex!) que estourou: são sempre dois pedaços, formados pela maior fenda ao redor do buraco que a agulha fez e não muitos como a gente poderia pensar. Tudo isso acontece muito rápido e o ar dentro do balão, que estava numa pressão mais alta, expande-se de repente. Isso gera uma onda de choque no ambiente que chega ao nosso ouvido e dá uma sensação de um estouro.

E o que fez a fita adesiva no nosso balão? Ora, ela simplesmente compensou as forças e impediu que as pequenas fendas ao redor do buraco se abrissem mais e… o balão continuou inteiro!

Comentários

Observação: Os comentários publicados abaixo foram enviados por nossos leitores e não necessariamente representam a opinião da Ciência Hoje das Crianças.


Deixe o seu comentário!









Conteúdo Relacionado

  • Copos musicais

    Que tal improvisar um instrumento para animar uma reunião de amigos?

    Há vários tipos possíveis de copofone. Neste da imagem, não é preciso lápis ou vareta, e sim friccionar os dedos sobre as bordas de cada taça para que elas produzam sons. (foto: Wikimedia Commons)
  • Dedos e estrelas

    Entenda a paralaxe, fenômeno simples e muito útil para os astrônomos

    A paralaxe é uma grande aliada dos astrônomos na hora de descobrir a que distância as estrelas estão da Terra. (foto: Skatebiker / (a href=http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)CC BY-SA 3.0(/a))
  • Curiosidade magnética

    As bússolas, você sabe, apontam sempre para o Norte. Ou seria para o Sul?

    Bússola tradicional. Quando elas apontam para o Norte geográfico, lá pelo Canadá, na verdade, querem dizer que ali é o polo sul magnético da Terra. (foto: Flickr/Calsidyrose/ (a href= http://creativecommons.org/licenses/by/2.0)CC BY 2.0(/a))
string(31) "lightboxIframe link infografico"

Rex na Copa

Novidades

Cadastre-se para receber nossas novidades por e-mail.

Seu e-mail

Twitter